segunda-feira, 11 de agosto de 2008

Sobre o direito de Surtar (revista Gloss, ed.11)






Justamente um dia depois deu dar um verdadeiro surto de choro, eu li a penúltima pagina da revista Gloss desse mes, escrita por Clarah Averbuck. Ela começa: "Toda mulher tem o direito de surtar. Dar piti. Jogar umas coisas no chão e chorar." Ela diz que a culpa é toda dos hormônios. Já que nao podemos controla-los, e temos tensão pré-menstrual, tensão-menstrual, tensão pós-menstrual... sabe, eu concordo com a autora, e me senti confortada de me dar ao direito justo e legal de dar piti!

Mas a verdade é que eu sou uma grande boba. Sou uma surtada, disso eu nunca duvidei. Tenho cada surto que , dá dó de quem tá por perto. Mas crises de choro são muito profundas em mim.
Eu nao costumo chegar aqui e falar ou expor terceiros que me machucam, porque se aqui é meu palco, minha platéia quer ouvir meus sentimentos, minhas idéias, minhas dores e minhas alegrias. Não querem ter pena de mim. Pra isso existe a novela das oito, e a Donatella!
Chorar é muito aliviante. É melhor do que todos os antipsicoticos que eu já tomei pra me doparem. Chorar me dá um imenso cansaço fisico sabe? Não sei se é assim com voces. Mas me cansa muito mesmo, é um desgaste fora do comum. E eu consegui a proeza de chorar o final de semana inteirinho... e mais, tabajara, escondido da minha avó. bem pelo menos eu acho. no domingo eu tenho certeza porque peguei o carro logo cedo e desabei pra chorar no ombro dos outros...só que chegando lá um ser estranho, que pra mim deve ter problemas sérios emocionais ou psicólogicos, adivinhem? deu piti! e daí eu tive que ir chorar em outro lugar(FDP).
Voces imaginam alguem assistir A Mumia em prantos? E só nao chorar mais, ou talvez chorar mais ainda porque tem do lado uma amiga que nao te abandonou um minuto sequer? Eu devo méritos a essa pessoa, mas nao cito nomes aqui no meu monologo egoista, entao se um dia voce ler, saiba que voce foi mão de Deus que me levantou. mesmo chorando. E chorando porque?
Não é dificil saber! Vindo de mim, o Sr. Ninguém mesmo que já me conhece bem, deve imaginar.
Ha pessoas que existem e machucam a gente. Por que as pessoas machucam a gente? Eu acho que eu nunca machuquei ninguém. Eu nunca tive que pedir desculpas por falhar. Sou canina: fiel e companheira. Eu peço desculpa pelos erros dos outros, por dar pt, por beber e fazer bobagem, mas eu sobriamente, nunca machuquei ninguem, né Sr Ninguém que tá ai de testemunha.
E agora que eu nao bebo mais, essa dor, dá lugar há um sentimento de revolta, de frieza... até de desprezo. Dizem que lagrimas são palavras que não puderam ser ditas, ou que cada lagrima ensina uma verdade. As pessoas me perguntam da onde eu arrumo tanta lagrima pra chorar mas a verdade é que há muito eu nao chorava...E há muito, pessoas nao me machucavam. eu me senti espetada por varios espinhos de muitas rosas. eu olhava pra cima e as via...as rosas, e meu corpo esta crucificado por todas elas ao mesmo tempo. ah, o tempo... o senhor do destino. antes que eu chore de novo, encerro meu monologo por aqui, desejando ao Sr. Ninguém, meu eterno leitor, muitas rosas sem espinhos.

Nunca me contaram que muitas dores podem se misturar em uma só, mas eu nunca duvidei.

Um comentário:

Mari Galindo disse...

Vc é uma fortaleza...mulher de fibra!Lembre-se disso!