sexta-feira, 3 de janeiro de 2014

Pay Off

as vezes a decisão mais dificil é a mais correta. as vezes deixamos que os outros decidam para aceitar, evitar ou mitigar. as vezes dói ter que reconhecer o fim do jogo. e como dói.
uma psicanalista deve saber bem de todas as decisões e quando chega a hora do definitivo ponto final.
mas até Nietzsche chorou. Freud, Lacan e Jung não tiveram suas vidas amorosas como exemplo. E é bem compreensível afinal é mais dificil amar do que pensar.
Terminar um relacionamento demanda mais coragem do que começar um. E quando terminam por voce a melhor forma de amenizar esse turbilhao de sentimentos pode ser abrir os olhos. Pra que insistir quando não existe mais a alegria, paz, amizade, cumplicidade, paciencia, indulgencia, e respeito?
não adianta querer manter algo que não existe mais. deixe que a aceitação tome conta. busque seu equilibrio. sofra, chore, mas não perca a ... oportunidade de tentar seguir em frente. e não olhe pra trás...
há de encontrar quem te ame como voce é. talvez re-encontre. e então lembre: toda dor um dia chega ao fim! (i hope)

2 comentários:

Marta Raquel disse...

Olá Vivian tudo bem? Li algumas postagens suas e queria de inicio parabeniza-la e também te pedir uma orientação quase que desesperada. Li que és uma border. Bom, vou resumir aqui minha história. Namorei um rapaz com esse perfil. Namoramos um ano a distância, ele em Minas e eu na Bahia. A principio como todo relacionamento foi um conto de fadas. Tudo muito lindo, até ele começar a demonstrar um ciúme absurdo, e pior, por coisas que ele criava na cabeça dele, pois em sua maioria nunca existiram os motivos. Então começaram os sintomas borders, em um momento eu era o amor da vida dele, depois eu já não valia nada. Ele queria tanto que eu admitisse coisas que não fiz, e quando eu não admitia, ele se machucava. Se cortava, batia c acabeça na parede, dava socos tb enfim. Terminamos de uma maneira horrível, uma briga terrível que pensei que íamos nos matar. Eu tb tenho um gênio muito forte, e não tinha paciência com o ciúme dele. Hoje ele namora outra pessoa, mas ainda não percebi nesse seu namoro algo forte como éramos nós dois. Ele demonstrava muito o amor dele por mim, e por essa moça não. O amo muito. Posso garantir que apesar de tudo é o amor de minha vida. Mas ele sente um ódio de mim sem fim. Disse que não me perdoa. Estou sofrendo muito, pensei em procurar ajuda, pois com o problema dele, acabei ficando eu com problemas. Se puder me orientar te agradeço. Hoje entendo o problema dele, e se tivesse uma outra oportunidade tentaria ajuda-lo tb! Será que existe conserto? Será que existe a possibilidade de haver amor ainda da parte dele. Te gradeço se ler um pouco de minha história e me dê uma opinião. Beijos e fique com Deus.

Nanda .Guimaraes disse...

Marta, vou responder sua pergunta no site da minha clinica: sevenpsicanalise.com.br
abçs