sexta-feira, 17 de abril de 2009

CID 10 - Transtorno de Personalidade Histrionica


Era só o que me faltava... Agora os filhos da puta da clinica que eu to me intitularam de histrionica!
Voces querem saber que tipo de personalidade hitrionica significa? pois bem... vamos lá de novo mergulhar ao mundo da psiquiatria e suas classificações.


O Transtorno de Personalidade Histriônica ou Histérica (TPH) é uma desordem de personalidade (incluída no grupo B "dramáticos, imprevisíveis ou irregulares" - Borderline, Histriônica, Anti-Social e Narcisista), representada por pessoas dramáticas, exageradas, sedutoras, que tendem a chamar atenção para si mesmas e controlam pessoas e circunstâncias para conseguirem o que querem - manipuladores.[1] É um distúrbio de personalidade que pode ocorrer concomitante ao Transtorno de Personalidade Limítrofe (Borderline) e, por isso, compartilham várias características em comum. Além disso, histriônicos têm uma probabilidade maior de adquirir depressão do que a maioria das pessoas.(wikipédia)

Características Diagnósticas
A característica essencial do Transtorno da Personalidade Histriônica consiste de um padrão invasivo de emocionalidade excessiva e comportamento de busca de atenção, que começa no início da idade adulta e está presente em uma variedade de contextos.

Os indivíduos com Transtorno da Personalidade Histriônica sentem-se desconfortáveis ou desconsiderados quando não são o centro das atenções (Critério 1). Freqüentemente animados e dramáticos, tendem a chamar a atenção sobre si mesmos e podem, de início, encantar as pessoas com quem travam conhecimento por seu entusiasmo, aparente franqueza ou capacidade de sedução.

Tais qualidades, contudo, perdem sua força à medida que esses indivíduos continuamente exigem ser o centro das atenções. Eles requisitam o papel de "dono da festa". Quando não são o centro das atenções, podem fazer algo dramático (por ex., inventar estórias, fazer uma cena) para chamar a atenção.

Esta necessidade freqüentemente se manifesta em seu comportamento diante do clínico (por ex., adular, trazer presentes, oferecer descrições dramáticas de sintomas físicos e psicológicos que a cada consulta são substituídos por sintomas novos).

A aparência e o comportamento dos indivíduos com este transtorno com freqüência são, de maneira inadequada, sexualmente provocantes ou sedutores (Critério 2). Este comportamento é dirigido não apenas às pessoas pelas quais o indivíduo demonstra um interesse sexual ou romântico, mas ocorre em uma ampla variedade de relacionamentos sociais, ocupacionais e profissionais, além do que seria adequado para o contexto social.

A expressão emocional pode ser superficial e apresentar rápidas mudanças (Critério 3). Os indivíduos com este transtorno usam consistentemente sua aparência física para chamar a atenção (Critério 4).

Eles empenham-se excessivamente em impressionar os outros com sua aparência e despendem tempo, energia e dinheiro excessivos para se vestir e se arrumar. Eles podem "caçar elogios" pela sua aparência e se aborrecer com facilidade e em demasia por algum comentário crítico acerca de como estão ou por uma fotografia na qual, em sua opinião, não saíram bem.

Esses indivíduos têm um estilo de discurso excessivamente impressionista e carente de detalhes (Critério 5). Fortes convicções em geral são expressadas com talento dramático, porém com um embasamento vago e difuso, sem fatos e detalhes corroborantes. Por exemplo, um indivíduo com Transtorno da Personalidade Histriônica pode comentar que determinado indivíduo é uma pessoa maravilhosa, porém ser incapaz de oferecer quaisquer exemplos específicos de boas qualidades que confirmem sua opinião.

Os indivíduos com este transtorno caracterizam-se por autodramatização, teatralidade e expressão emocional exagerada (Critério 6). Eles podem embaraçar amigos e conhecidos por uma excessiva exibição pública de emoções (por ex., abraçar conhecidos casuais com um ardor exagerado, soluçar incontrolavelmente em ocasiões sentimentais de pouca importância, ou ter ataques de fúria).

Entretanto, suas emoções com freqüência dão a impressão de serem ligadas e desligadas com demasiada rapidez para serem profundamente sentidas, o que pode levar a acusações de que estão fingindo.

Os indivíduos com Transtorno da Personalidade Histriônica têm um alto grau de sugestionabilidade (Critério 7).

Suas opiniões e sentimentos são facilmente influenciados pelos outros e por tendências do momento. Eles podem ser confiantes demais, especialmente em relação a fortes figuras de autoridade, a quem vêem como capazes de oferecer soluções mágicas para seus problemas. Eles apresentam uma tendência a curvar-se a intuições ou adotar convicções prontamente.

Os indivíduos com este transtorno muitas vezes consideram os relacionamentos mais íntimos do que são de fato, descrevendo praticamente qualquer pessoa recém conhecida como "meu querido, meu amigo" ou chamando um médico visto apenas uma ou duas vezes sob circunstâncias profissionais por seu prenome (Critério 8). Devaneios românticos são comuns.

Os indivíduos com Transtorno da Personalidade Histriônica podem ter dificuldade em adquirirem intimidade emocional em relacionamentos românticos ou sexuais. Eles com freqüência representam um papel (por ex., "vítima" ou "princesa") em seus relacionamentos, sem se dar conta disto. Eles podem, em um nível, tentar controlar seu parceiro através da manipulação emocional ou sedução, enquanto exibem acentuada dependência em outro nível.

Os indivíduos com este transtorno muitas vezes têm relacionamentos deficientes com amigos do mesmo sexo, porque seu estilo interpessoal sexualmente provocante pode parecer uma ameaça aos relacionamentos dos amigos.

Esses indivíduos também podem afastar os amigos com suas exigências de constante atenção. Eles freqüentemente ficam deprimidos e aborrecidos quando não são o centro das atenções. Eles podem ser ávidos por novidades, estimulação e excitação e ter uma tendência a entediar-se com sua rotina habitual.

Estes indivíduos em geral manifestam intolerância ou frustração por situações que envolvem um adiamento da gratificação, sendo que suas ações freqüentemente são voltadas à obtenção de satisfação imediata.

Embora muitas vezes iniciem um trabalho ou projeto com grande entusiasmo, seu interesse pode desaparecer rapidamente. Os relacionamentos a longo prazo podem ser deixados de lado para dar lugar a relacionamentos novos e excitantes.

O risco real de suicídio é desconhecido, mas a experiência clínica sugere que os indivíduos com o transtorno estão em maior risco para gestos ou ameaças de suicídio para chamar a atenção e coagir os outros a um maior envolvimento. O Transtorno da Personalidade Histriônica tem sido associado com taxas superiores de Transtorno de Somatização, Transtorno Conversivo e Transtorno Depressivo Maior.

Existe, freqüentemente, a co-ocorrência de Transtornos da Personalidade Borderline, Narcisista, Anti-Social e Dependente. fonte:http://virtualpsy.locaweb.com.br/dsm_janela.php?cod=159

Diagnósticos diferenciais

Na personalidade borderline (limítrofe), apesar das duas personalidades terem em comum muitas características, como a instabilidade emocional, hipersensibilidade às rejeições, grande dependência afetiva, manipulação emocional, impulsividade, intolerância ao tédio e monotonia e sofrem de dissociações, deve-se ter em conta que borderlines costumam ter uma grande desregulação emocional, com pensamento de cisão-extremo (amar totalmente ou odiar totalmente), idealizam e se apaixonam rapidamente por pessoas recém-conhecidas, querem compartilhar segredos ou saber tudo da vida da pessoa recém-conhecida, fazem esforços excessivos para evitar um abandono, ficam bravas ou irritadas facilmente, têm uma impulsividade frequentemente auto-destrutiva, com tendências compulsivas como drogadição, alcoolismo, cleptomania, comer compulsivo e são pessoas frequentemente irritadiças, com grande sentimento de raiva evidente com explosões de ira. Histriônicos tendem a reagir sempre depressivamente e aos choros, enquanto que borderlines tendem a reagir de forma raivosa ou explosiva. Além disso, seus relacionamentos, assim como histrionicos, são instáveis, entretanto, borderlines têm relações intensas e ainda costumam ter relacionamentos sociais desgastados, enquanto que histriônicos tendem a ter um bom relacionento social, contudo, superficial. Outra grande diferença também, está na preocupação excessiva com a aparência física do histriônico, levando, às vezes, às distorções corporais. Borderlines, entretanto, têm instabilidade da imagem corporal o que leva às distorções, diferente dos histriônicos que procuram incansavelmente chamar atenção com a aparência física sedutora, podendo levar às distorções da imagem. Além disso, borderlines não costumam erotizar relações não-sexuais e não têm uma tendência sedutora, como histriônicos.(wikipédia)

Bom, eu sinceramente, sinto muito pelos que sao histrionicos...mas os imbecis que falaram que eu sou isso vao me pagar, porque eu to com tanta raiva! que merda. nao basta a gente ser doente, temos que conviver anos entre dezenas de diagnosticos. Eu convivi anos, pensando ser bipolar. me revoltei contra Deus e o diabo a quatro. Depois me resignei quando me contaram que eu sofria de despersonificaçao, que tinha Transtorno de Persnonalidade Boderline. estudei e apredi a viver como uma boderline, agora anos depois vem um bando de vagabundo mudar meu diagnostico de novo??? fora que eu nunca deixei de ser bipolar (31.3) e TDHA.
Oque eles querem??? me endoidar? É por isso que eu nao fico falando pros psiquiatras que escuto vozes como o personagem da novela. porque vao me dar mais remedio. E é disso que esses filhos da mae vivem: da industria farmaceutica, que jogam remedios cada vez mais caros no mercado.
E nossas familias? e nossos amigos? Acabamos com nossa vida pessoal e que se danem, porque ninguem vai procura-los pra explicar que estamos doentes. E dai? e dai brigamos, machucamos, humilhamos, nos afastamos, brincamos, odiamos, amamos, e nao sabemos controlar tantos sentimentos. explodimos como bombas. em quem estiver mais próximo.
É CULPA DA FALTA DE JESUS NO SEU CORAÇAO MINHA FILHA!!! SE APEGUE A DEUS!

PORRA. TIREM DEUS DESSA HISTÓRIA. nao mexam com religiao. deixem as coisas como são. nascemos assim. nos ajudem.queremos ajuda, porque os medicos nao nos ajudam. nos destroem, e nos enchem de remedios. e nós nos destruimos ao perceber que destruimos as pessoas que mais amamos.

por que... por que, é tão dificil? todo dia, todo dia, todo dia...

32 comentários:

Anônimo disse...

Oi Fernanda,
Você sumiu... está tudo bem com você? Espero que sim... Mande notícias..
Super beijo
anonimononimo001@yahoo.com.br

Anônimo disse...

AMEEI seu desabafo!!!
maass sinceramente acho q deveria fazer terapia junto com isso...va a um psicologo e diga tuudo isso a ele!!! tenho ctz q te ajuda!! esse tipo de transtorno q te rotularam nao eh com remedio q se cura nao... vc tem que mudar sua mente!!!!!!espero ter ajudado!!!
e nao deixe q esse rotulo faca o q vc realmente eh... !!
beeijos

Anônimo disse...

Eu também fui diagnosticada como histriônica. Já tem uns 5 anos...
Quando me levaram ao psiquiatra. Mas fui morar fora. Foda-se. Nós nascemos assim é verdade. Meu coração é meu maior traidor. Também não queria ser dopada, ser desvirtuada a uma pessoa que eu realmente não era. Mas olha, as vezes eu sofro tanto, que tenho vontade de assinar o contrato de felicidade imposta pela sociedade. Os cegos do universo. Mas aí, estaria eu me dopando de novo. Da mesma maneira que seria se um médico me dopasse com seus medicamentos.
O que é melhor? O q é pior?
Não sei.
Se vc descobrir, me conte.

Anônimo disse...

minha mãe é histriônica e realmente a doença dela afetou muito mais a nós filhos e marido do que a ela mesma, pq os histriônicos estão tão preocupados consigo mesmo que não pensam no quanto fazem sua familia sofrer, ao dizer pra seus filhos desde pequenos que vão se matar, que odeiam isso, amam aquilo e vão se matar de novo e bla, bla, bla.
acho realmente que os histriônicos deveriam ficar sozinhos, pq conviver com eles só traz dor e sofrimento.
nada do que vc faça, nenhum gesto de amor, nada é o bastante, eles sempre querem mais, querem tudo, até que você pare de viver sua própria vida, ou como meu pai, desenvolva um câncer por tanto sofrer calado e morrer.
perdemos um pai amoroso e ficamos sozinhas, porque ao pensar em si mesmos, eles se esquecem que são mães, pais, filhos, a única coisa que importa é seu próprio prazer.
eu nunca tive mãe,o que tive foi alguém pra cuidar desde que aprendi a andar e falar, e ela sempre exigiu isso de nós, que cuidássemos dela, que a amássemos, que a entendêssemos e nunca, nunca deu nada em troca, o histriônico não se doa a ninguém, ao contrário, suga tudo das pessoas.
nada era o bastante, nada evitava suas crises, seus escândalos, sua indiferença ao nosso sofrimento, era como se todos tivessem vindo ao mundo para servi-la, pra sempre.
do zelador ao feirante de domingo, todos deveriam reverenciá-la e tratá-la melhor do que os outros, se não o faziam, lá vinha outra crise.
é a doença do egoísmo, do abandono e do descaso com a familia e com a sociedade.
é a doença mais triste do mundo.

Anônimo disse...

Olá, Fernanda.
Tbm tenho o diagnóstico de histriônica, mas não concordo com ele, pois sou tímida, não gosto de chamar a atenção, muito menos sexualmente, além de não ser nada influenciável. Porém, sou carente à beça, minha mãe não nos deu carinho e meu pai era estilo "carrasco". Como sou "bocuda" e idealista, acabo ganhando a fama de querer tudo do meu jeito... o que não é verdade.
Não sei se você é histriônica mesmo, mas se for e quiser viver melhor, faça psicoterapia cognitivo-comportamental e tome antidepressivos (modernos)por um tempo, sua vida vai mudar, pode acreditar.
Por fim, não dê importância para as pessoas que dizem que basta "força de vontade" para você melhorar... É a mesma coisa que dizer que falta "vontade para o pivete deixar de fumar crack"... Antes das pessoas falarem algo sobre as doenças psiquiátricas deveriam estudar mais a fim de descobrir o que são os "neurotransmissores", os "neurônios", as "sinapses" etc, só assim vão deixar de dizer um monte de besteira,que tudo é psicológico.
Boa sorte!!!!

Anônimo disse...

Minha mãe também é histrionica e infernizou nossa vida, igual ao comentário que li aí. Se causamos mal-estar ao nosso redor, se temos patologias, devemos, obrigatoriamente, nos tratar. Ou, viver isoladamente. O mundo está repleto de disturbados e seria mais agradável se essas pessoas tomassem medicação ou fizessem terapia para uma melhor harmonia

Anônimo disse...

Acredito que todo esse teu "desabafo" só vem a respaldar o diagnóstico que te deram... pra que tanto drama?? Porque tantas expressões e tanta dificuldade em aceitar algo que ja tá na tua via ha tanto tempo.... o negócio é psicoterapia...por isso é um trantorno de personalidade... se fosse um disturbio orgãnico, te dariam só remédios...tenho certeza de que a maioria dos médicos que te atenderam te indicaram psicoterapia pelo menos 02 vezes por semana. Tá fazendo??? Tenho certeza que não....

marjoe buratto disse...

oi...
Sou histrionica como vc... Já me revoltei, já briguei com Deus. Tudo. Querida. Não nos resta mais nada na vida que mandar os outro pra PQP. desista de tentar fazer com que te entendam. Pensa no lado positivo. Somos encantadoras. Somos dificeis de conviver? Sim, somos. Mas não digo que o ser histrionico esta destinado a ser uma praga pra sociedade e tenha que viver sozinho. o passo numero um é SABER O QUE VC TEM. tomo remedio, faço terapia, e terei q PRO RESTO DA VIDA ME VIGIAR. obvio, sou teatral, carente, sou tudo o que uma histrionica é. mas sou uma bailarina classica que fez sua vida fora do brasil, sou uma excelente artista (graças a minha excessividade de emoçoes levo o publico a loucura) Sou uma otima compania. eu sei op que tenho. Sei onde eu piro. O negócio é se controlar. eu nunca (como li ali) vou levar meus familiares a loucura. ja levei, jah fiz a vida dos meus amigos um inferno. Mas, eu não pedi pra nascer assim, e vou dominar a minha imperfeição. A vida é uma só, quem quiser se afastar de mim ok, mas todos a quem eu me relaciono SABEM que sou histerica e SABEM o quanto eu luto pra proceder como uma pessoa normal.
Nãso te revolta. Não leva a nada. Toma remedio, faz terapia, e te policia. A nossa cabeça é diferente. Mas veja o lado bom da histeria. Nada é 100% ruim. Eu sou assim. Vou vencer. Cada ano que passa (tenho 26 anos) é um ano que consigo vencer um pouquinho mais da minha doença. A vida é mto boa pra a gente deixar ela ser levada por algo que não pedimos pra nascer....

histrionico disse...

Oi Fernanda,
Bom não sei se vc é histriônica mesmo, mas pelo muito pouco que vi vc tem umas reações dramáticas e exageradas que lembras o Histriônico.

Eu sou Histriônico, só me dei conta disso recentemente. Quero aprender a lidar com isso espero que vc aprenda também! Ou não né! kkk

Seu blog é muito legal possa add ele no meu? Abraços

Claudia Aragao disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Giuliano Lemes disse...

Oi Fernanda!, Bom veja pelo lado bom, o tratamento de um Histrionico apesar de dificil, tem grandes chances de ser um sucesso nas maos de um um bom profissional, a melhor forma de tratamento indicada e a psicoterapia, mas os resultados dependerao muito do esforco da sua parte de se aceitar. O que a Marjoe disse tem muito sentido, primeiro passo eh admitir o que vc tem, e depois se policiar para nao tornar a vida das pessoas que te amam uma loucura. Voce nao tem ideia nos maridos, filhos, pessoas que amam um histrionicos sofremos e passamos nos dias de convivencia. Bom espero que consiga arranjar alguem competente que consiga te diagnosticar corretamente, para isso procure alguem muito bem indicado, que seja renomado e tenha casos de sucesso que acho que tua vida melhora bastante. Boa sorte

lilis disse...

Também fui, depois de anos diagnosticada, sob minha desconfiança, como bipolar, agora, sem nenhuma, explicação dos médicos como histriônica. Sempre me senti cobaia de psiquiatra com tanta mudadança de medicamento. Sempre lutei para entender o que tenho, não tomar tanto remédio, não perturbar tanto a família, mas mesmo assim infelizmente quase todos pensam, como muitos que se expressaram acima, que a gente "quer" fazê-los sofrer. Não pensam que é genético e no quanto nós também sofremos? Já fiz de tudo, inclusive nunca deixei a psicoterapia. Não precisam ser benevolentes conosco, mas pesquisem antes de emitir opiniões preconceituosas e nos respeitem. Nós lutamos.

lua_sol010203 disse...

vc não está sozinha...eu nunca recebi diagnostico de nenhum psquiatra...¬¬
Mas me vejo no que vc descreveu sobre personalidade histrionica..nunca nem tinha ouvido falar nissoooo...

Adriele disse...

Oii Fernanda!Li sobre seu desabafo!
Nao sou Histrionica...Sou Borderline!
Descobri q sou a mais ou menos 6 meses e posso te dizer com toda a certeza do mundo.Nosso transtorno ele nao tem cura, mas com o passar do tempo ele tem a melhorar...conforme fomos ficando mais velhas, nossos momentos de furias, tristezas,instabilidade de humor vao ir diminuindo...mas isto nao conseguimos controlar sozinha, precisamos de ajuda de profissionais como tratamento com psiquiatras e psicólogas nosso transtorno nao se resolve com remédios e sim com o acompanhamento desses profissionais...eles precisam interagir sobre a nossa vida, rotina tudo!Se nao tb nao conseguiram nos ajudar!Se vc optar em fazer o tratamento e dizer a tua psicóloga q Você nao qr fazer uso de medicação forte que possa a vir atrapalhar sua rotina ou ate mesmo teu raciocínio e outras coisas!Ela com certeza vai achar a melhor maneira para ajuda-la!Mas nao tente fazer isso sozinha...é um transtorno te trara prejuízos no futuro seja eles emocionais ou ate mesmo materiais!Te falo isso por experiência ok! Mil bjuxz se cuida.

Leandro disse...

Acrdito que o histriônico pode ter uma vida melhor, se treinar fazer projeções de suas atitudes, mesmo após de ter agido impulsivamente, imaginando como seria se tivesse agido de determinada forma. Com o passar do tempo, vai regulando melhor suas ações, e, o mais importante, as pessoas próximas a ele tendem a entendê-lo melhor, ao perceberem a tentativa de melhorar.

Ana disse...

Para a psiquiatria o mundo inteiro tem transtorno de personalidade.Só posso te dizer algo nem vc nem os medicos, podem mudar esse quadro no qual vc se encontra somente aquele que te formou pode saber quem vc realmente é e o que precisa ser mudado e curado em vc.Esse alguem é Deus.
A psicologia pode ajudar afinal de contas eles identificam patologias estudando comportamentos.E desde que o mundo é mundo o sabio rei Salomão ja falava que tudo na vida se repete que nos somos aquilo que aconteceu ontem, e que nada no mundo acontece que ja não tenha acontecido pode ter certeza que vc não é o unico diagnostico.Antigamente na idade media as pessoas consideradas doentes mentais eram cuidadas pela igreja catolica com o surgimento da psiquiatria por phillipi Pinel(pioneiro na psiquiatria )essas pessoas foram separadas em grupos de diferentes comportamentos e tratadas com remedio.Tratadas mas não curadas.Os medicos tem o diagnostico mas somente DEUS tem a cura.Apalavra de Deus fala em Jó que todo homem nasceu para o enfado ou seja todo o homem tem um vazio em si que só pode ser preenchido por Deus.Como as faiscas das brasas voam para cima assim somos nos em busca de Deus.Não se enganem com seus proprios olhos tem muita gente que parece ser super saudavel é que na verdade é doente.Todo o homem pecou e precisa da misericordia de Deus.Não se sinta menos que ninguem por estar nessa situação que bom que vc procurou ajuda, tem tanta gente que passa uma vida mascarando um a situação e culpando os outros pelos seus problemas.O senhor se alegra pela sua coragem de buscar se interiorizar e se conhecer pois tantas pessoas não tem essa coragem.Não de importancia para o que o mundo pensa de vc, se alegre com o que DEUS pensa a seu respeito.E para ele vc é uma pedra preciosa é menina dos seus olhos.

Ana disse...

Para a psiquiatria o mundo inteiro tem transtorno de personalidade.Só posso te dizer algo nem vc nem os medicos, podem mudar esse quadro no qual vc se encontra somente aquele que te formou pode saber quem vc realmente é e o que precisa ser mudado e curado em vc.Esse alguem é Deus.
A psicologia pode ajudar afinal de contas eles identificam patologias estudando comportamentos.E desde que o mundo é mundo o sabio rei Salomão ja falava que tudo na vida se repete que nos somos aquilo que aconteceu ontem, e que nada no mundo acontece que ja não tenha acontecido pode ter certeza que vc não é o unico diagnostico.Antigamente na idade media as pessoas consideradas doentes mentais eram cuidadas pela igreja catolica com o surgimento da psiquiatria por phillipi Pinel(pioneiro na psiquiatria )essas pessoas foram separadas em grupos de diferentes comportamentos e tratadas com remedio.Tratadas mas não curadas.Os medicos tem o diagnostico mas somente DEUS tem a cura.Apalavra de Deus fala em Jó que todo homem nasceu para o enfado ou seja todo o homem tem um vazio em si que só pode ser preenchido por Deus.Como as faiscas das brasas voam para cima assim somos nos em busca de Deus.Não se enganem com seus proprios olhos tem muita gente que parece ser super saudavel é que na verdade é doente.Todo o homem pecou e precisa da misericordia de Deus.Não se sinta menos que ninguem por estar nessa situação que bom que vc procurou ajuda, tem tanta gente que passa uma vida mascarando um a situação e culpando os outros pelos seus problemas.O senhor se alegra pela sua coragem de buscar se interiorizar e se conhecer pois tantas pessoas não tem essa coragem.Não de importancia para o que o mundo pensa de vc, se alegre com o que DEUS pensa a seu respeito.E para ele vc é uma pedra preciosa é menina dos seus olhos.

rachel disse...

olha eu estou na mesma situação que você. Primeiro eu tinha depressão, agorafobia e pânico e agora minha linda psicóloga me disse que ela e me psiquiatra me deram o diagnóstico de transtorno de personalidade histriônica. Ñão sei a sua mas a minha não sabia o que significava e pediu par que eu pesquisasse na net na wikipedia e ligasse para ela falando o que eu achei sobre o diagnóstico. Desde então a minha depressão pirorou muito fiquei todos os dias da semana chorando e deitada o dia inteiro dormindo sem vontade de viver porque eu não aguento mais lutar por problemas psicológicos....eu não acho que tenho tbm esta doença e fiquei muito puta dela que me trata há 1 e meio falar isso de mim...a vulgaridade se deve a calças legs que uso pq engordei 12 quilos com o tratamento para depressão e pânico. Minhas roupas não cabem, estou sem roupas para vestir direito, a compulsão é porque comprei algumas roupas novas pra mim mas roupas que disfarçam a gordura e valorizam um pouco o que eu tenho de bom tbm nem...a gente já fica se sentindo uma merda e eles pisam em cima....e a gente ainda paga caro para isso...eu te entendo perfeitamnete...se quiser trocar email chelgranato@hotmail.com

Marília Castro Alves disse...

Fernanda, indico que você faça psicoterapia,com certeza você aprenderá a lidar melhor com isso tudo e, consequentemente,terá uma vida melhor.Só quero te dizer que você não deve se prender a esse diagnóstico, pois por trás dele sei que existe uma pessoa, que como qualquer outra também sofre.Não devemos julgar alguém acometido por qualquer transtorno psicológico, pois ser assim não é uma escolha,é algo que tem inúmeros determinantes(relação mãe-filho, relação pai-filho,ambiente em que o indivíduo vive e cresce,etc).Conheço uma pessoa que tem transtorno de personalidade Histriônica, entretanto,ela não tem consciência disso.Lhe digo com toda certeza que esse é o primeiro e mais fundamental passo que você deu,pois a partir disso você poderá tomar providências que lhe ajudem a lidar melhor com isso, facilitando também seu relacionamento com os outros.Tenha consciência de que a sua vida não está limitada por esse diagnóstico,e que você poderá a aprender a explorar as possibilidades que a vida lhe oferece,independente desse transtorno. Entenda que ter transtorno de personalidade histriônica também é uma forma de viver e aprenda a lidar com tal forma.Tendo consciência de que precisa fazer algum tratamento tudo será mais fácil,irá diminuir seu sofrimento, pois é importante ressaltar que o sujeito com tal transtorno também sofre,e irá também lhe ajudar a evitar fazer com que outras pessoas próximas a você também sofram. Indico que você procure um terapeuta fenomenológico.Procure fazer algo voltado para a arte,como algum tipo de dança ou teatro,entre outros, que lhe ajude a canalizar a sua necessidade de chamar atenção!
P.S.: Assista ao filme "Uma mente brilhante"...apesar de mostrar um caso de esquizofrenia,que não é o seu,mostra também uma lição de vida." E nunca se prenda ao seu diagnóstico!! ;***

Sweet Begônia disse...

Eu também fui diagnosticada recentemente como boderline, depois de tanto tempo convivendo com explosões de sentimentos dos mais variados, ferindo a quem amo e sendo ferida também, pude entender as causas das minhas dificuldades.
E sim, dói muito...

Jéssica Salles disse...

ola...eu nunca passei por um psicólogo,mas desde quando comecei ter relacionamentos eu percebo que naum sou normal,hj, com 20 anos tenho um namorado perfeito que me ama,e que eu amo demais também,o começo do namoro foi perfeito,eu era divertida de bem com a vida,atraente e por isso ele se apaixonou, sei que sou uma pessoa boa,mas agora,com um ano e meio de namoro,tenho tido atitudes que eu não consigo explicar,e ertou sofrendo muito com isso,por isso fiz essa pesquisa na internet,e percebi que tenhu muitas caracteristicas descritas como transtorno de personalidade histrionica...eu estou acabando com meu namoro,acho ruim quando ele diz coisas simples,como elogiar alguma menina bonita,até mesmo nos filmes,faço disso uma tempestade,choro incontrolavelmente,ele me chama de neurotica,paranoica...quando vamos a algum lugar que vejo alguma menina muito atraente,eu me fecho,e não tenho vontade nem de conviver,me sinto diminuida...ameaçada,me preocupo muito coma parencia,e sabe depois que brigamos,que eu falo coisas sem nexo,que exijo respeito,atenção da parte dele,eu me arrependo,e choro mais ainda,e fiko como vitima,dramatica e coitadinha e sei no fundo que estou perdendo ele...eu sofro muito,pq nunca consigo ter um namoroque de certo,sempre insatisfeita,nunca feliz com que tenho..desconfiada,acho que vou ser traida a qualquer momento...sabe eu naum sei mais o que fazer... estou cada dia mais infeliz com minhas atitudes,e o pior de tudo é que tenho conciencia de que estou me auto-destruindo,mas naum consigo mudar,...meu nome é jéssica,e gostaria da opnião de vcs...obrigada e os comentarios me ajudaram muito...

Pitokinha disse...

Olá, eu também já fui diagnosticada como bipolar, depois borderline, depois metade bipolar e metade borderline e por fim esse tal de personalidade histriônica. Eu tb estou revoltada, eles acham o que? Que eu me corto pra chamar atenção? Fora que a assistente social me trata super mal porque afinal de contas "estou tentando chamar atenção", Meuuu que ódio cara, que ódio..... fora que a maioria dos meus cortes são na coxa e não dá pra ver..... eu estou cansada de tantos diagnósticos e nenhuma melhora. Meu, eu não consigo ficar muito tempo em um emprego, já fui casada duas vezes. Eu tÔ de saco cheio!!!!!!!!!!!!!!!!

Amanda disse...

Boa tarde, Fernanda .

Uma psicologa que fazia tratamento comigo me disse que eu estava beirando um transtorno de personalidade, eu fui pesquisar hoje e me identifiquei com este. Não sei se é verdade ou não, que isso faz parte de mim, mas todos os sintomas, reações da descrição que aqui você colocou ( que condiz com minhas pesquisas) são identicas sem mais nem menos ao que eu passo, sinto e a maneira que me comporto.

Mas ouso afirmar, e posso estar errada pois não pesquisei, que existem "n" fatores que causam este tipo de transtorno, o que não resume a termos nascido com isso.

Eu sofri com estes sintomas a vida toda perdi muitas coisas e magoei muita gente, mas eu como estudante de Psicologia, afirmo que é possível mudar e como você mesma afirmou que se conformou e se adaptou a condição que tinham te colocado como bipolar ... eu acredito por experiencia própria que é possível conviver bem com esta condição, existem fatores na descrição deste transtorno que eu consigo controlar. O ideal é ter um profissional de Psicologia acompanhando, porque o remédio apenas acalma os sintomas, ele não cura, e a questão aqui colocada não é se existe cura porque é um transtorno não se cura, se adapta e convive com ele (isso na minha opinião, sem me basear em que estudei), portanto eu consegui me controlar em alguns fatores que aparecem, mas em menor intensidade, o remédio ajuda no tratamento multiprofissional juntamente com a psicoterapia, sem psicoterapia esquece !!!( Falo isso como estudante)

E agora pessoalmente, detesto remédios, eu tomei a minha adolescencia toda e continuava explodindo, minha familia sofria demais. E não é por querer que fazemos, o sofrimento é grande e precisamos colocar pra fora. Mas hoje, estou há meses sem tomar remédio, MESES e não explodi uma só vez, sinto vontade, fico nervosa como antes, só que sei direcionar, mudei meu comportamento e meu jeito de pensar depois de um grande sofrimento, fiquei mais orgulhosa, mas o sintoma não passou, só que isso me prejudicou tanto que hoje consigo controlar ... e estou muito bem, não sei qual é o seu caso, porque se ouve vozes é bom procurar um psicologo sim, um profissional que ajude a você se adaptar a estas condições e nestes casos em três anos de estudo, sempre ouvi e li que é aconselhavel a ser medicado, mas antes de tudo isso o que temos é uma condição nossa, vamos ter que viver com isso, eu não me odeio por isso, nem me lamento, nem me envergonho, porque tenho saúde, sou capaz tanto quanto os outros e sou muito inteligente e isso não é exagero nem nada, são condições emocionais que não tiram nossa capacidade de viver bem, eu hoje tenho muita força de vontade de mostrar que sendo como for, tendo o diagnostico que tiver, eu posso e vou conviver com isso, e farei semelhante ou melhor que todos os outros que tem ou não, por amor a mim, por respeito as pessoas que me viram crescer, e que transtorno algum vai justificar minhas falhas ... eu gosto de pensar assim, porque isso me levanta e eu falo e repito, mesmo me sentindo as vezes para baixo, e muitas vezes sozinha, as pessoas que não sentem ou passam por isso dificilmente entendem, principalmente pessoas que não se especializam no assunto ou não são profissionais da área .... por isso se precisar estamos ai.

Falei demais, mas eu passo por isso e é tudo muito intenso, me ferrei e perdi muita coisa importantissima para mim, pessoas , enfim ... E hoje eu confio mais em mim, por "n " motivos .... espero ter ajudado.

Florbela Espector disse...

Muito boa essa discução, vc está de parabéns! Uma boa estérica é assim mesmo, faz de um assunto normal um grande evento. Gostaria de deixar uma dica (também sou estérica, do tipo que gosta de ajudar) eu me tratei 4 anos com homeopatia, com um medicamento de nome ignatia amara, com um excelente homeopata unisista. Nunca mais me senti perdidamente sensível e deixei amenizou muito essa coisa de querer ser o centro das atenções e me livrei dos problemas de saude, como enxaqueca e problemas de bexiga. Acho que a análise terapeutica deve ser mantida ( eu não fiz) mas a homeopatia nos tira rapidamente do quadro, e cura com o passar dos anos tomando o medicamento. Eu ainda sou estérica tenho consciencia e me vejo manipulando e me vejo me resentindo quando não sou aprovada, mas sinto-me 90% melhor do que fui. Bjs a todos os estrióniocos insuportáveis, eu os comprendo como a mim mesma.

Vivian Fernanda ou Fefeia disse...

Bom, vamos nós mais uma vez, mas ja vou advertir que:
1- ja dei, dou e irei dar toda e qualquer ajuda para quem tambem tem despersonalização Boderlaine, ou Limitrofe. Fez um poste bem recente sobre isso, apesar de insistir que nao quero ser referencia, nem que meu blog apareça nas pesquisas sobre doenças psiquiatricas. taí, sabe que eu ja desabafei, há anos eu levo este blog, paguei pelo dominio do nome, mas NAO QUERO FALAR SOBRE BIPOLAR OU HISTRIONICO, fechou? beleza?
2- eu nao sou histrionica, muito menos tenho sintomas de bipolar. em 2005, minha psiquiatra que permanece até hoje comigo, diagnosticou o DDA (inumeras vezes confirmados pelo p300 e pelos spects que todo ano eu faço), muito menos bipolar. ela chega a debochar de quem fala que eu sou bipolar. ela diz: ta na moda! mas eu sou psiquiatra há 30 anos, trato voce há 7 anos, e posso garantir em juizo, que a ultima coisa que voce tem, é bipolaridade.
Agora vamos ao pegapácapá: voces conhecem o termo "comorbidade"? é quando traços de outra doença aparecem em um diagnóstico. em todos meus relatórios medicos ta lá F60.31, e outros como: stresse pós traumático, anorexia nervosa, DDA,f33.3 ou f33.1 e por ai vai. histrionica, meu povo, é uma doença psiquiatrica, boderline tambem, bipolar tambem, esquizofrenica tambem, narcizista tambem,e cid 10 afora... eu tenho comorbidade com alguns sintomas da personalidade histrionica, mas que são muito dificeis de perceber, pois boderline+DDA = bomba!
Gentem, sem desmerecer ou comparar, mas o paciente histrionico é facilmente diagnosticado, pelas peculiaridades. Boderlines, passam anos indo e vindo. no meu caso, graças a Dra Jaqc, ela possuia todos os relatórios, prontuarios, e exames, para poder diagnósticar com convicção o que eu tenho. poderia narrar x fatos ou sei la, de 2009 até 2012, eu nem sei quantas medicaçoes ja foram tentadas. desde 2011, acertamos (a Dra principalmente) minha medicação. tive apenas um rapido surto (normal em boderleines), por causa de um concurso. De fora, quem le ou quem tem, aponta: HISTRIONICA CLASSICA! bom, segundo a psiqiatria (inclusive quando recebi alta depois de 90 dias internada) meu diagnostico: DDA, e transtorno de personalidade Boderleine. posso ter alguns momentos, onde aparecem sintomas de um histrionico, mas eu recomendo que leiam melhor sobre boderlines. ah, vou começar o mestrado em psicologia clinica, sou Junguiana, e nao me sinto apta ou éticamente correta, para julgar quem é ou não é. Apenas repito: medicação é paliativo.Terapia, é o tratamento. Deus cuide de todos, compreenda nossas falhas. beijos a todos.

jamile disse...

Oi!
Tenho transtorno de personalidade com instabilidade emocional tipo Borderline.
Já me tratei com psicólogo,com psiquiatra...Já me senti até cobaia de psiquiatra com tanta mudança de medicação.E olhe que foram muiiiitas medicações!
Faz 2 meses que larguei todos os remédios,larguei psicoterapia e psiquiatra.E me sinto muito bem,graças a Deus.

Sussu Liporacci disse...

Tenho uma filha de 26 anos , pelo que lí todas as caracteristicas de comportamento são de personalidade Histrionica.Ela está fazendo terapia, mas não aceita ir ao psiquiatra, pois se torna agressiva, diz que não é louca e que não quer tomar remédios. Ela não possui limites, faz tudo o que lhe passa na cabeça, passa por cima de tudo e de todos. Estamos esgotados, a familia toda está sofrendo, ela nos fere com o que fala e sempre é uma vitima! Gostaria muito que ela aceitasse ir ao médico psiquiatra, mas não posso obriga-la! Sofro em ve-la assim...sem objetivos na vida, só com sonhos, mas sem levar nada adiante!

Flávia Reis disse...

Olá, alguns portadores de transtorno de personalidade criaram um grupo no facebook com o intuito de discutir esse tema:

http://www.facebook.com/groups/transtorno.personalidade/?fref=ts

No tem portadores, psicologos, psiquiatras e familares. Temos nos ajudado todos os dias!

caio__ disse...

li o seu poste agora e nunca vi tanta semelhança comigo em tanto tempo. quando eu ainda era criança bem jovem tinha uns 8,9 anos minha mãe me levou ao psiquiatra, e ele disse que eu tenho transtorno de personalidade, isso caiu no esquecimento, minha mãe é cristã é quer me obrigar a engolir goela abaixo a religião dela, então aos meus, 16,17 anos eu achava que tinha bipolaridade, e hj sei tenho transtorno de personalidade histriônica. o mais incrível é quantidade de amigos que tenho e como sei que posso contar com eles sempre e é isso que me da conforto agora, quanto eu tinha uns 14 anos tentei suicídio várias vezes, mas agora estou bem cmg msm aprendi a me aceitar.

Ana Flor disse...

Olá pessoal, tenho 19 anos e um irmão de 14. Meu pai faleceu quando eu tinha apenas 5 anos e meu irmão 11 meses, enquanto vivia minha mãe nunca precisou trabalhar, tinha uma vida de princesa, em um belo dia ele foi trabalhar e não voltou, se envolveu em um acidente de carro e acabou falecendo. Desde então minha mãe rala todos os dias pra criar a gente com dignidade.
Ela sempre teve a personalidade forte, uma pessoa dificil de lidar, porem nossa casa sempre esteve rodiada de amigos, o que fazia muito bem a ela. Há mais ou menos 5 meses ela começou a perder o controle, talvez por ver que seu relacionamento de 6 anos estava chegando ao fim, ou me ver namorando um cara que aos olhos dela não é o genro dos sonhos, e também ver que nós estamos criando asas e tentando seguir nossos caminhos o que ela não aceita, não é mais como antigamente quando acatavamos todas suas vontades,.
Enfim, o relacionamento com todos dentro de casa está cada dia pior, ate uma cebola que não é cortada do jeito dela é motivo pra briga, amo minha mãe mais do que tudo nesse mundo e sei que a unica pessoa que ela pode contar é comigo, meu irmao querendo ou não ainda é uma criança, e quem esta de fora não quer nem saber o que acontece aqui dentro. Fui atras de psicologo, psiquiatra e etc, primeiramente foi diagnosticada com depressão grave por afirmar que iria fazer um suicidio, mais depois das avaliações o psicologo me afirmou que trarta-se de um transtorno de Personalidade,onde ela tentrá manipular todos ao seu redor para que façam suas vontades. Atualmente ela já agrediu todos que estavam ao seu redor, seus amigos, seu marido, seu genrro, seus filhos, principalmente EU, não sei se é pelo fato de que eu sou super ligada a ela, mais as situações na maioria das vezes constrangedoras principalmente quando há o uso de uma cervejinhaou outra, tudo isso acaba me abalando muito, e me fazendo sofrer, semana que vem ela começa a fazer psicoterapia, já esta tomando medicamento há 10 dias, mais ainda não vi resutados. Espero que ela supere logo esta fase e volte a ser a pessoa maravilhosa que era, não só pra mim, mais para todos que estao ao seu redor, e principalmente pra ela mesma, é muito dificil ver a pessoa que sempre lutou com todas as garras pra criar e proteger seus filhos e que sempre demonstrou muita felicidade nesta situação!! Um desabafo de uma filha que está desesperada ao ver sua mãe nessa condição. Um forte abraço a todos, bjs

Ana Flor disse...

Olá pessoal, tenho 19 anos e um irmão de 14. Meu pai faleceu quando eu tinha apenas 5 anos e meu irmão 11 meses, enquanto vivia minha mãe nunca precisou trabalhar, tinha uma vida de princesa, em um belo dia ele foi trabalhar e não voltou, se envolveu em um acidente de carro e acabou falecendo. Desde então minha mãe rala todos os dias pra criar a gente com dignidade.
Ela sempre teve a personalidade forte, uma pessoa dificil de lidar, porem nossa casa sempre esteve rodiada de amigos, o que fazia muito bem a ela. Há mais ou menos 5 meses ela começou a perder o controle, talvez por ver que seu relacionamento de 6 anos estava chegando ao fim, ou me ver namorando um cara que aos olhos dela não é o genro dos sonhos, e também ver que nós estamos criando asas e tentando seguir nossos caminhos o que ela não aceita, não é mais como antigamente quando acatavamos todas suas vontades,.
Enfim, o relacionamento com todos dentro de casa está cada dia pior, ate uma cebola que não é cortada do jeito dela é motivo pra briga, amo minha mãe mais do que tudo nesse mundo e sei que a unica pessoa que ela pode contar é comigo, meu irmao querendo ou não ainda é uma criança, e quem esta de fora não quer nem saber o que acontece aqui dentro. Fui atras de psicologo, psiquiatra e etc, primeiramente foi diagnosticada com depressão grave por afirmar que iria fazer um suicidio, mais depois das avaliações o psicologo me afirmou que trarta-se de um transtorno de Personalidade,onde ela tentrá manipular todos ao seu redor para que façam suas vontades. Atualmente ela já agrediu todos que estavam ao seu redor, seus amigos, seu marido, seu genrro, seus filhos, principalmente EU, não sei se é pelo fato de que eu sou super ligada a ela, mais as situações na maioria das vezes constrangedoras principalmente quando há o uso de uma cervejinhaou outra, tudo isso acaba me abalando muito, e me fazendo sofrer, semana que vem ela começa a fazer psicoterapia, já esta tomando medicamento há 10 dias, mais ainda não vi resutados. Espero que ela supere logo esta fase e volte a ser a pessoa maravilhosa que era, não só pra mim, mais para todos que estao ao seu redor, e principalmente pra ela mesma, é muito dificil ver a pessoa que sempre lutou com todas as garras pra criar e proteger seus filhos e que sempre demonstrou muita felicidade nesta situação!! Um desabafo de uma filha que está desesperada ao ver sua mãe nessa condição. Um forte abraço a todos, bjs

Vivian Fernanda ou Fefeia disse...

genten, eu nao sou histrionica. sou boderline. na verdade desde 2010 estou estabilizada e nao tive nenhum surto, tomo BUP. nesse interim: minha avó com quem eu sempre morei morreu. eu tive que lutar contra todos e provar que eu não iria surtar, haja vista que toda familia surtou e houveram momentos de desespero. e por fim: estou fazendo o curso, na verdade terminando para receber o certificado e resgitro como psicanalista. que ironico. a vida dá muitas voltas... mesmo que demore: vamos meditar, fazer um esporte, sei lá! em 2011 fiquei sem terapeuta e foi quando eu tive a necessidade de fazer auto-analise. e foi assim que me apaixonei por Jung, yoga, meditaçao e trabalho voluntario. então moçada, força na peruca e se voces tiverem duvidas do diagnostico: vá em outro. se o segundo falar diferente, va no terceiro. uma hora voces vao encontrar os diagnosticos semelhantes em medicos diferentes. um xero.