segunda-feira, 18 de maio de 2009

Respostas sobre Borderlines - aos leitores


Obrigado a todos que acompanharam a materia sobre o transtorno de personalidade borderline.
Não é sobre isso que vou escrever hoje, mas estou em falta com voces. Familiares, que leram a matéria e agora me sinto compromissada em explicar-lhes um pouco mais sobre como lidar, o que sente, quanto sofre, e principalmente: quanto faz sofrer aos outros quem é borderline.
Temos muito medo de perder as pessoas que amamos. e amamos muito de pressa. mal conhecemos alguem, e este alguem ja se torna nosso melhor amigo. Isso, é claro, chateia os familiares e mais intimos, pois, mal sabem da onde vem aquela nova amizade, e ja estamos nos entregando de corpo e alma. Não temos como mensurar nossos sentimentos, mas tememos perder todos que estao a nossa volta. por outro lado, nosso comportamento absolutamente impulsivo, mandão, intransigente, afasta rapidamente as pessoas de nós. por iso nao conseguimos manter muitos laços de amizade. mas conseguimos faze-los com constancia, devido a nossa personalidade encantadora, perspicaz, inteligente, sedutora, simpatica e bem humorada.
somos fanfarroes. a bebida é um grande problema. nao somos alcoolatras. mas gostamos de beber. e quando bebemos, bebemos muito. e dai, nossa personalidade se altera completamente.
mas conseguimos levar perfeitamente uma vida longe de bebidas, cigarros, etc. muitos são atletas. ou nerds.
nosso grande ponto fraco é a insegurança. ela chega como uma leve depressão. é como o nucleo, a camada interior. entao se forma uma auto defesa onde nos escondemos. nao queremos chegar perto nem ter contato com ninguem. mas as pessoas nao entendem isso. a essa altura, nossa paciencia ja se esgotou completamente. e formasse entao a crosta. ou o borderlaine em si. a pessoa agressiva, intolerante, egoista, e algumas vezes suicida.
O Borderline é um tipo de personalidade muito dificil de se lidar e de se reconhecer, pois é muito solicito, faz tudo muito bem, vive em sociedade como qualquer um, mas dentro de si, a uma tenue linha que o separa da sanidade e da loucura. Magoar um individuo borderleine, é mais facil do que ver nuvens no céu. Nossa imaginação e sensibilidade são rarissimas.
.
.
.
No fundo, sofremos muito de amor, baixa auto-estima, solidão, desilusoes, infidelidades e culpa.
A dor que nos consome, é inenarravel. Mas por favor, nao nos abandonem. somente a mais sabia compreensão poderá curar nossas cicatrizes.

NÃO ME CONTARAM QUE EU PODERIA AJUDAR OUTRAS PESSOAS PORQUE SOU ASSIM, MAS EU NUNCA DUVIDEI!

21 comentários:

Eliane disse...

Nunca haverá uma forma de preencher nossas lacunas vazias, porquanto iremos buscando um pouco de cada coisa em cada lugar, um pouco de algo em alguém, por momentos seremos nós mesmos embustidos em nossa egoísta dor, tão nossa, tão própria, tão nata.
Mas ainda assim, existem cores, existem coisas muito simples para serem notadas, nossas olhos captam e alimentam nosso ser.
Bipolar, boderline, que importa? Assassinos cruéis estão livres com suas consciências, por que haveríamos de nos culpar por assim sermos? Somos livres para ser como somos, nem sempre fazemos nossas escolhas, apenas lutamos contra, a favor, ou simplestmente calamos, mas seguimos, entre crises, sem elas, chorando, lamentando, bebendo, extrapolando limites (quais seriam eles?).
Não somos diferentes, temos sim emoções diversas, quando muitos nem ao menos sabem desfrutar de uma gargalhada, do choro que lava a alma.
Existimos, com medicamentos, terapia, conflitos, mas existimos, fazemos alguma diferença, embora sem percebermos porque nosso egoísmo nos cega, mas alguém nos quer bem e certamente fazemos falta e a tal diferença para esse alguém, seja lá quem for.
Não sou o que baseia um cid, sou mulher, cidadã, mãe.
Quero sim desistir maioria das vezes, mas lamento dor, ainda tenha que trilhar e lutar contra todos os meus males.
Oi Vivian, bem vinda ao universo onde fazemos a diferença.
Somos a prova viva dos diversos e fantásticos enigmas da mente humana.
Lia

Anônimo disse...

e o que se faz se mesmo amando esta pessoa ela é mentirosa manipuladora dissimulada.?

Anônimo disse...

Permita-me comentar, gostei muito do blog.
Estava navegando procurando respostas para esse distúrbio de personalidade.
Convivo com uma pessoa que foi diagnosticado como tal.
A convivëncia com essa pessoa é difícil demais, principalmente na parte da manhã. Afinal, nunca sabemos como agir, e como a pessoa irá retribuir.
Eu, sinceramente sinto-me desorientada, as vezes cansada, mais sempre procurando entender o sofrimento da alma que essas pessoas carregam.
A imaturidade muitas vezes é gritante.
E, a "mania"de que tudo colabora para a instabilidade, é sempre jogada para alguém.
Como conviver com uma pessoa com esse transtorno?
Agora, ele está medicado e parece que finalmente acertaram a medicação, um único remédio, parece estar dando muito certo.O humor melhorou bastante, a ansiedade também, estou bastante otimista.
Abraços..

webmaster@rarissimas.net disse...

Mas como é que se lida com um doente com borderline?

Acabei perdendo a minha namorada (que tem borderline). A família dela não ajudou. Acabou até me culpando por alguma instabilidade da filha. Quando nunca permitiram que eu fosse ao médico com a filha.

A questão complicou-se quando passaram a levar a filha a uma comunidade evangélica. A certa altura eu já não reconhecia mais a minha namorada. Passou a ficar uma pessoa diferente. Tanto ela como a mãe nunca consentiram que eu acompanhasse a filha às celebrações evangélicas (quando para ir à igreja à missa tradicional eu já podia). Determinadas acções de preocupação que eu tinha (tais como telefonemas) passaram a ser vistas como tentativas de "controlo".

Já li muito na internet acerca de borderline, mas em questões práticas o que preciso saber é o que se deve fazer (e não fazer) no caso de conviver com alguém com borderline? Como lidar?

Uma grande dificuldade que notei em 14 meses de namoro teve a ver com o facto de lhe fazer determinadas vontades e desejos. Num casal as decisões tomam-se por acordo. Mas ela só queria impôr a vontade dela e basicamente reagia muito negativamente quando os desejos dela não eram cumpridos.

Por várias vezes ela quis terminar o namoro. E intensificou-se com pequenas separações (quando por exemplo eu fiquei doente 1 semana com febre).

Agradeço a ajuda possível.

keila disse...

Vc ainda escreve gsotaria muito de discutir sobre essa doença q é tao nova em minha vida ... me sinto perdida nao sei mais o q é verdade em mim ou se tudo é só uma fantasia satisfazendo meu ego!

Duda disse...

Oi,a um ano conheci um homem no qual me apaixonei assim que vi,ficamos amigos e uns meses depois estavamos namorando,mas me mentia muito,complicado de se entender e tinha dias que estava amando loucamente e outros era grosseiro sem saber o que eu tinha feito para esta mudança de humor.Agora,fui descobrir que ele tem borderline,adoro ele como amigo e apaixonada como homem.Sem avisar a ele fui viajar na páscoa e qdo soube mudou completamente comigo ao ponto da nossa relação ter esfriado,...ele prometeu conversar comigo,acho eu que ele deve contar seu problema,seja o que for agora mais do que antes e do que nunca quero estar ao seu lado e ajuda-lo qdo precisar.
Chorei muito ao ler esta postagem sua pois entendi muitas coisas que antes reclamava dele e o cobrava,com todo amor que tenho por ele e pelos todos que tenham a broderline EU NUNCA OS DEIXAREI!!...bjs
meu email,duda.mel@uol.com.br e tenho um blog, http://cestadelasblogspot.com

eduardo mendonça disse...

Oi

Me apaixonei por uma mulher que a uns 2 meses, estou vendo muitas caracteristicas de borderline.

No inicio do nosso relacionamento, sai uma vez com outra mulher que nunca mais voltei a ver e 4 meses depois a minha namorada descobriu, mandou mensagens pelo facebook pra todos os meus amigos e meus parentes. Falando coisas horriveis...O ser humano erra e sei que errei no nosso inicio...Tirando isso, foi tudo maravilhoso e muito intenso. Amo demais essa mulher e gostaria de saber como que posso lidar com isso. Ru faço terapia a uns 2 meses e meio e foi o meu terapeuta que me deu esse toque, mesmo ele não podendo afirmar, pois não a conhece. Alguém poderia me dar uma ajuda? Como posso fazer para me aproximar dela? A familia dela gostaria muito da nossa volta, mas isso realmente não dependeria deles e sim da minha ex. Por ela ter algumas caracteristicas de borderline, gostaria de poder saber como que posso fazer para me reaproximar novamente. Muito obrigado.

Vivian Fernanda ou Fefeia disse...

Eduardo,
bom: voce vacilou. o Boderlaine tem pavor, alias, a principal caracteristica de "nós", é o temor de ser abandonado. Boderline é uma peculiaridade entre os transtornos de personalidade e geralmente é comobiforme com outro tipo de "CID 10". quano eu conheço alguem, e no terceiro encontro ja dá pra perceber que vai haver outros encontros, eu abro o jogo: eu tenho um interruptor, e quando esse interruptor é ligado, me transformo em uma pessoa que, choca! a palavra é essa: é chocante. muda minha voz, muda meu olhar, enfim, tipicamente dupla personalidade, o bem e o mal. aposto que dentre 2% da populaçao boderlaine no mundo, 99% dizem: se fizer, faça bem feito para eu nao saber. claro que vc tem o apoio da familia, porque quando amados, nós "ficamos estabilizados", mas se vc apertou o interruptor dela...bom, eu posso ser franca? tente. tente até voce cansar e por ultimo deixe claro: voce ME ENSINOU A TE ESQUECER...eu nao acredito que depois de tanto tempo ela sinta o mesmo que sentia antes. mas ela tem vc, mesmo nao tendo fisicamente. abandona-la ou trai-la emocionalmente, ai sim... ela vai pesar essa balança, e quem sabe, será ela que correra atras de voce. só um p.s.: nao provoque. nao provoque ciumes ou que nao esta mai ai enquanto voce estiver. ela tera outro surto e se entregará ao cara que estender a mao pra ela. DESCULPA, MAS ACHO QUE QUEM CHEGA AQUI, QUER RESPOSTAS, E NEM SEMPRE AS RESPOSTAS ACALANTAM. MAS EU TENHO QUE JOGAR LIMPO PRA QUE VOCE ENTENDA O QUE ELA SENTE. nao deixe de aparecer e contar no que deu, ok? espero ter ajudado...Abraços

samsung disse...

Olá! Tenho uma irmã boderline e hoje meu relacionamento com ela não existe, diferente de antes no qual eramos amigas, confidentes etc
Venho pedir ajuda em como lidar com ela.Com todos conceitos de boderline ela tem todos sem excessão, como tentativas inúmerasss suicidio, depre, sentir só, infeliz, sem auto estima, enfim sei dos sintomas , de como ela sente.Ela age por impulso, tipo ou faz que digo e ou penso ou me corto,indo ao fato verídico.
MInha mãe sede a todos pedidos, mesmo sem concordar ou poder por medo de crises , pois ela se corta na frente de todos, mostrando e dizendo que isso é por nossa culpa, que ela vai se matar e culpa é nossa etc.Eu por nao fazer isso, ou seja, sempre disse a ela que a amo e acredite eu a amo, porém ela tem outro caminho que é melhor que esse,mas a escollha depende dela se ajudar ou nos ajudar a ajuda la. Enfim, comigo cortou relacionamento, me culpa pelas crises e de coisas que nao são verdades. Ela nao me procura e das vezes que a procuro ela nao corresponde e sai dizendo que eu abandonei ela.Com meus pais ora está bem, mas quando quer algo, se eles nao fazem ou concordam ela tem crises.E eles já velhos estão esgotando fisicamente e mentalmente também e financeiramente com inumeros emprestimos sem ter como pagar.Sei que ela sofre, os pais sofrem, mas como agir nesse caso.Ela vai ao psiquiatra mas nao faz tratamento correto, nao toma medicamento em hora certa e as vezes nem toma, e ai de quem reivindicar isso.Psicologo ou terapeuta, anteriormente uma desistiu do tratamento , talvez por nao ver resultado. A atual ainda está com ela, mas ela só conheçe o que minha irmã diz, tipo a familia nao a quer, abandona etc. O que nao é verdade. Ela mudou e nao da endereço nem aceita irmos lá, e diz que naõ vamos porque nao gostamos dela. Enfim a psicologa consegue ajuda la sem saber de qual ponto chega as crises dela? Quero ajudar mas nao sei como e ate momento nao vejo como ajuda ficar dizendo sim a ela pra evitar crises. O que faço além de orar por ela?????

eduardo mendonça disse...

Oi Vivian,
Muito obrigado pelo seu retorno.
Vou realmente tentar muito mais.
Outra coisa que vi como caracteristica foi que a ums meses depois do nosso inicio, ela vinha vasculhando meus emails e meu fecebook.
Até que achou um unico vacilo meu.
Já tem dois meses q tudo terminou e ela ainda fala muito "das minhas amigas" que não falo com essas pessoas a meses...
Ela continua querer acreditar nas coisas que ela acha e que de fato esta longe de serem reais...
Tudo que ela acha, ou é tudo exagerado e tudo e todos contra ela.
Mais, fazer oque? Gosto muito dela e não é de hoje.
Não provoco ela em nada, pois sei que isso não seria bom nem pra ela e nem pra mim.
Vivian, vamos nos "falando" e assim aprendo mais um pouco.
Muito obrigado.

eduardo mendonça disse...

Oi Vivian,
Qual o seu email?
Tem como te enviar um email?
Obrigado.

gisele disse...

Olá, muito interessante sua iniciativa, parabéns mesmo! Bom, eu conheci uma pessoa e um ano depois me casei, mas nesse ano entre o dia em q nos conhecemos e o casamento, ficamos juntos pouco tempo, pois ele morava em um paíz e eu no outro. Independente de cultura, lingua e etc... agora que moramos juntos, estou sofrendo muito, pois tenho dois filhos q não são dele, e o comportamento dele é muito dificil, estranho e instabile, eu acho q ele é um bordeline, mas ele diz q não tem nada e não quer ajuda, só q é muito dificil viver com uma pessoa assim, mas eu o amo,sou apaixonada por ele, pois sei que ele é uma pessoa boa, honesto e acredito mesmo q ele me ame, apesar das terriveis ofensas e acusações que ele sempre faz, tanto pra mim, quanto pra meus filhos q são pequenos e lhe querem bem, ele não confia em ninguem, acusa de coisas que ele imagina q aconteceu,mente com facilidade e friesa, malda de tudo, eu não sei mais o que fazer pra não ter q ir embora c meus filhos, eu o amo, mas não conssigo convencer ele a procurar ajuda, e não sei como lhe dar com isso, se puder me dar algum consselho serei muito grata, obrigada!

eduardo mendonça disse...

Oi Vivian,
Estava tentando uma aproximação com ela até duas semanas atras...
Ás vezes, tinha certeza absoluta de que iriamos ser felizes e outras vezes, certeza de que não iriamos a lugar algum.
Chegando nesses 4 meses, quando tudo estava começando a se acertar, parecia que ela queria arrumar qquer motivo para nos separar, mesmo com todo apoio de toda a família dela..
Percebia nitidamente que ela só queria saber de sofrer, mesmo tendo feito uma viagem para San Diego, que era o sonho dela ir pra lá, pois a irmã mora lá..
Só falava de coisas tristes e depre.
Realmente, nunca gostei tanto de uma pessoa, qto eu gosto dela, mas enfim, quero ser feliz também...
Vou viver a minha vida e ver se própria vida nos coloca um na frente do outro novamente.
A amo demais.

Vivian Fernanda ou Fefeia disse...

genten, acompanhem os post mais recentes. respondo muitas questoes lá.leio todos os comentarios, mas respondo atualmente, entao sigam para receber as atualizações ou estejam aqui, que eu vou estar com voces, sempre, oks?

Brayner disse...

Oi, Viviam

Que blog interessante! Nunca vivi tao intenso com ninguem em minha vida, nunca amei de verdade e nem sei se consigo fazer pra outra pessoa o que eu fiz pra minha ex-namorada portadora do transtorno borderline... Vivi momentos que achava que era completamentes irreais de tao bom que era, era muita troca de carícias muitos presentes muitos gestos carinhosos, e sem contar os planos que fizemos pra nossas vidas... mas um belo dia tudo se transformou e me deixou pra tras, terminamos de uma forma quase irreal de tanto odio q ela passou a ter de mim sem motivos nenhum pois a uma semana atras desse acontecimento ela me amava como se fosso o ultimo homem do planeta, motivos banais fez com q ela deixasse todos os planos que fiz pra nós escorrer por agua abaixo, hj em dia perdi 11kg e sofro de depressao e tenho uma empresa na qual idealizei pra gente construir nosso futuro juntos, vivo só e buscando entender de fato oq essa doença realmente e capaz... só uma duvida essas atitudes podem ser arrependidas futuramente?? ou borderlines nao arrependem dos seus atos?

Brayner disse...

Oi, Viviam

Que blog interessante! Nunca vivi tao intenso com ninguem em minha vida, nunca amei de verdade e nem sei se consigo fazer pra outra pessoa o que eu fiz pra minha ex-namorada portadora do transtorno borderline... Vivi momentos que achava que era completamentes irreais de tao bom que era, era muita troca de carícias muitos presentes muitos gestos carinhosos, e sem contar os planos que fizemos pra nossas vidas... mas um belo dia tudo se transformou e me deixou pra tras, terminamos de uma forma quase irreal de tanto odio q ela passou a ter de mim sem motivos nenhum pois a uma semana atras desse acontecimento ela me amava como se fosso o ultimo homem do planeta, motivos banais fez com q ela deixasse todos os planos que fiz pra nós escorrer por agua abaixo, hj em dia perdi 11kg e sofro de depressao e tenho uma empresa na qual idealizei pra gente construir nosso futuro juntos, vivo só e buscando entender de fato oq essa doença realmente e capaz... só uma duvida essas atitudes podem ser arrependidas futuramente?? ou borderlines nao arrependem dos seus atos?

eduardo mendonça disse...

Oi Brayner,

Vivi isso a uns meses atrás e hoje já estou bem melhor. Perdi 18 kilos e ela também era assim mesmo, eram altos e baixos e não seguia um linear.
Com ela, tudo era um pouco irreal, as vezes odiando e no final do dia amando.
Hoje que estou com outra mulher, vejo o quanto era tudo irreal e sofrido e segurança, nem pensar em ter com ela.
Cara, fica bem, pois o melhor remédio vai ser o tempo. Sofri uns 6 meses...
Fica bem.

Alberto disse...

Vivian
Sou irmão mais novo de uma pessoa que sofre deste transtorno. Desde nossa infância, nunca me foi explicado o que acontecia, até porque, imagino, minha mãe não sabia do que se tratava. Eu sabia que havia alguma coisa errada, minha irmã às vezes demonstrava pofundo amor por mim, e em outras, me tratava terrivelmente mal, tirava meus objetos, chegou a me apontar uma faca. Percebia algo incoerente em seus atos, bem como arroubos de manipulação, chantagem emocional e medo de abandono. Nem diria medo de abandono, mas sim, vinganças por um suposto abandono. Como meus pais separarm muito cedo, minha mãe, sozinha, não conseguia lidar com as crises dela, e preferiafazer o que fosse exigido, para que ela não se contrariasse, mesmo que isto representasse prejudicar a mim. Desculpe colocar desta forma, mas, tendo sido criado neste meio, sempre fiquei muito dividido, entre tentar entender tais comportamentos, às vezes agressivos, às vezes egoístas, manipuladorese até calculistas, e a possibilidade de que algumas destas ações possam advir puramente de má indole ou falta de caráter. Como diferenciar? A pessoa, sabendo-se doente, não aproveita o próprio fato para exigir dos outros o que quiser, sabendo que todos tem medo de suas crises?
Roberto

Alberto disse...

Vivian
Sou irmão mais novo de uma pessoa que sofre deste transtorno. Desde nossa infância, nunca me foi explicado o que acontecia, até porque, imagino, minha mãe não sabia do que se tratava. Eu sabia que havia alguma coisa errada, minha irmã às vezes demonstrava pofundo amor por mim, e em outras, me tratava terrivelmente mal, tirava meus objetos, chegou a me apontar uma faca. Percebia algo incoerente em seus atos, bem como arroubos de manipulação, chantagem emocional e medo de abandono. Nem diria medo de abandono, mas sim, vinganças por um suposto abandono. Como meus pais separarm muito cedo, minha mãe, sozinha, não conseguia lidar com as crises dela, e preferiafazer o que fosse exigido, para que ela não se contrariasse, mesmo que isto representasse prejudicar a mim. Desculpe colocar desta forma, mas, tendo sido criado neste meio, sempre fiquei muito dividido, entre tentar entender tais comportamentos, às vezes agressivos, às vezes egoístas, manipuladorese até calculistas, e a possibilidade de que algumas destas ações possam advir puramente de má indole ou falta de caráter. Como diferenciar? A pessoa, sabendo-se doente, não aproveita o próprio fato para exigir dos outros o que quiser, sabendo que todos tem medo de suas crises?
Roberto

Clau Lacerda disse...

Fernanda, seu blog ainda está ativo? Gostaria muito de falar com vc...sou psicóloga e me identifico muito com a questão.
Obrigada!

Vivian Fernanda ou Fefeia disse...

genten, eu nao sou histrionica. sou boderline. na verdade desde 2010 estou estabilizada e nao tive nenhum surto, tomo BUP. nesse interim: minha avó com quem eu sempre morei morreu. eu tive que lutar contra todos e provar que eu não iria surtar, haja vista que toda familia surtou e houveram momentos de desespero. e por fim: estou fazendo o curso, na verdade terminando para receber o certificado e resgitro como psicanalista. que ironico. a vida dá muitas voltas... mesmo que demore: vamos meditar, fazer um esporte, sei lá! em 2011 fiquei sem terapeuta e foi quando eu tive a necessidade de fazer auto-analise. e foi assim que me apaixonei por Jung, yoga, meditaçao e trabalho voluntario. então moçada, força na peruca e se voces tiverem duvidas do diagnostico: vá em outro. se o segundo falar diferente, va no terceiro. uma hora voces vao encontrar os diagnosticos semelhantes em medicos diferentes. um xero. (repeti a mesma resposta dada em outros posts)